Em 2018…”A Alegria é a Prova dos Nove” Oswald de Andrade

Durante o ano todo segui a narrativa dos palcos, sem descanso. 2017 deixa rastros em mim.

O cenário inundado por crises revela encenações onde artistas e técnicos dividem o protagonismo com o público.

O Teatro e sua vocação política, encontra ressonância onde houver “um tablado, um intérprete e uma paixão”. E…especialmente nesses tempos, o mundo parece melhor, visto da plateia.

O trabalho aumentou, viajei mais que de costume, pipoquei em praças devastadas e trouxe para os meus arquivos visões desses novos tempos.

Companhias e solilóquios, eletrificam o campo de visão dessa fotógrafa, entregue aos cinco sentidos e às muitas direções.

Retalhos que juntos formam um abrigo, cheio de vozes e olhares. Rimas e versos.

Atores a plenos pulmões. Peitos e músculos.

Múltiplos talentos, inúmeras aptidões.

Minhas fotografias, documentos.

Atrás de muita fumaça, iluminação.

Saliento a importância das mulheres na produção desse ano que se encerra. Abraços e agradecimentos.

Abaixo, fotos desse mosaico redivivo.

 

Feliz Ano Novo.