“Dilúvio”, espetáculo de Gerald Thomas, em cartaz no Sesc Anchieta SP

Por Lenise Pinheiro

Lembro quando assisti Carmen, montagem dirigida por Gerald Thomas. Em 1985. Estarrecimento imediato que se perpetua até hoje, depois de tantos cliques, elipsos e tempos. Em seus espetáculos, momentos entre a catarse e a apoteose . Compassos estabelecendo o conflito. Grandes atuações.

Ele diz que sou “Clumsy”, sigo firme, sou mesmo trapalhona.

Encontro com Gerald, no Teatro Anchieta, de vez em quando. Abraços, os mesmos (des) encantos e outros planetas.

Dilúvio revela novos teatros.

Explora novos planos.

Exibe teatro em quarteladas.

Pegada renascentista. Trilhas épicas.

Obra de arte total ao somar Anas, Marias e Sambas.

Reco reco, cuíca e pandeiro. Baixos e surdos.

Agora Dilúvio. Um quase navio.

Coxias quentes, marujos e tensão de circo.

Cordas, toques e abismos profundos.

Nada de redes. Tudo de redes.

Diálogos de I Phone:

– “Sad, Bad, Fire. Fake News”.

Agora Dilúvio. Quadros de hoje.

Para emergir de um transe da terra de Glauber.

Com Zé Celso, se come a carne.

Já com Gerald, cacófatos à parte, se brinda com luz e sangria.

Pode esfregar que a mancha não sai.

Teatro Sesc Anchieta – SP

Quintas, Sextas e Sábados 21h Domingos 18h

Autor e Diretor: Gerald Thomas
Coreografia Aérea e Direção: Lisa Giobbi
Coreógrafa Associada: Julia Wilkins
Elenco: Maria de Lima, Ana Gabi, Beatrice Sayd e Isabella Lemos
Performance Aérea: Lisa Giobbi e Julia Wilkins
Coreografia e Designer de Movimento (solo): Julia Wilkins
Preparação Corporal: Daniella Visco
Assistente de Direção: André Bortolanza
Desenho de Luz: Wagner Pinto
Co-criação da Trilha e Compositor: Mauro Hezê
Gravação e Voz em “Gimme Shelter” e “Out of Control”: Vivalda Dula
Desenho, Pintura e Cenografia: Gerald Thomas
Direção de Produção: Dora Leão
Produção e Administração: PLATÔproduções
Realização: SESC SP