“Instabilidade Perpétua”, atriz Soraya Ravenle em solo no Sesc Ipiranga

Por Lenise Pinheiro

Instabilidade Perpétua

Palavras entre a poética e a imaginação.

Surpresas para o autor. Emoções para a plateia.

A instabilidade em camadas.

Perpétua flor. Narrativa carne.

Fluxos. Descobertas. Desconstruções.

Teatro com janelas abertas para a diferença:

-“Espero que esse encontro saliente a nudez, e que a nudez saliente aquilo que a cobre”.

Capítulos entre existências e silêncios:

– “A criança que eu era tá lá, naquela praia naufragada. Em pé, desbotada. Interrompida”.

Esquecimentos. Cortes. Privações.

Caronas em estradas alheias:

-“Passei minha vida inteirinha, debruçada na beirada do meu olhar. O olhar abismal. É o dom do abandonado”.

Dinamismo, ideias e humanidades.

Aqui, Kafka faz 80 anos.

Parabéns.

Sesc Ipiranga – Teatro Mínimo – SP

Sextas 21h30 Sábados 19h30 Domingos 18h30

Dramaturgia: Diogo Liberano e Soraya Ravenle

Solo baseado no livro homônimo do escritor: Juliano Garcia Pessanha

Concepção e Atuação: Soraya Ravenle
Direções: Daniella Visco, Georgette Fadel, Julia Bernat e Stella Rabello

Iluminação Roberto Setton