“Terra dos Outros Felizes – O jogo dos amigos imaginários”, texto de Michelle Ferreira, no Teatro dos Arcos SP

Por Lenise Pinheiro

Cheiros familiares, lembranças e diferenças.

Tempos e trocas de cenas. Repetições.

Crenças esgarçadas entre dias corridos.

Indígenas, terras demarcadas e a trans árvore.

-“Contra a natureza se pode pouco”.

Água contaminada e clima ficcional.

A proximidade com o público cria um lance.

Somos todos convidados, para essa praia “azulejada”.

Creme de tartaruga, junco sintético e…trim…telefone de disco. Cenário analógico.

A casa, onde o violão fica num canto. Sem voz.

“Magoado”, como já previa Dilermano Reis.

Digressões, radioatividade e carnaval.

– “Ninguém apareceu”.

Muitos “gigabaites“:

-“Glândulas sudoríparas, trabalhando sem parar”.

Dramaturgia lisérgica. Quase pornô.

– “Foda-se”.

Branca de Neve e nove atores encontram lixo e

chuva envenenada.

-“Vaca Loca. Projeto de redenção”.

Amiga de barba. Corpo e olhos em transição. Felizes.

– “Jaboticaba, no pé de manga”.

Visões, surpresas e assombrações.

Cowboy, Super Homem, Pirata, Borboleta, Rainhas e Damas.

Diversão fingida. Experiências e fluidos.

Apostas, roubos no jogo e encontros com o mar.

– “Avenida Atlântica, quinhentos e trinta e oito”.

Os adultos estão na sala?

Dramas da imaginação. Visões:

-“Amanhã, faremos tudo diferente”.

O deserto da mente, em cena.

Onde a árvore pia, o caseiro mia e a terra incendeia.

Teatro dos Arcos – SP

Sábados e Domingos 19h

Texto: Michelle Ferreira

Direção: Vanessa Guillen

Atores: Bárbara Salomé, Deborah Graça, Dyl Pires, Ernani Sanchez, Fernando Fecchio, Fezu Duarte, José Sampaio, Katia Calsavara e Nina Morena

Cenografia: Márcia Pires

Iluminação: Rossana Boccia

Figurinos: Fernando Fecchio

Trilha Sonora: Peter Mesquita