“Passarinho”, Ana Kutner se apresenta no Sesc Pinheiros

Por Lenise Pinheiro

Passarinho

Desejos de se deixar atravessar pelo outro.

Perguntas e histórias.

Dispositivos de comunicação direta.

Encontros de “reencontros habituais”:

– “Quando você se afasta…”

Surpresas e razões, milhares:

-“Você gesticula muito quando fala, coça o rosto, raspa a barba, parece um búfalo, de tão grande. Tem tanta certeza das coisas, que vive esquecendo tudo por aí. Tudo que você olha…vira seu”.

Similaridades dos corpos, impulsos e perdas definitivas.

-“Ciclos…poder deixar de ser qualquer coisa que se pense”.

Sorrisos. Presentes. Capa de revista.

Agradecimentos diários. Parceiros de teatro.

-“Tem um lugar nosso, que é desabitado. É um lugar que é marcado pelas coisas que a gente não entende, não compreende e não consegue se livrar. Esse lugar marcado previamente pelo destino. Nossos impulsos. Algumas pessoas são marcadas para sempre. Quanto eu morrer vou contar tudo prá Deus. Agora, é café preto. Pão com manteiga”.

Janeiros, calendários e beijos.

Noites que não foram feitas para dormir.

Tudo é amor. Firmeza.

Amigos sem explicação.

Urgências funcionais. Comprometidas.

Desertos em nós, meninos sírios.

Passarinho vento forte. Político.

Terceira pessoa. Rock and roll.

Bandeiras. História. Libertas.

Nem menino e nem menina.

Ana.

Sesc Pinheiros – Auditório – SP

Quintas, Sextas e Sábados 20h30

Texto e Atuação: Ana Kutner

Direção: Clara Kutner

Assistente Direção: Fabio Osório

Direção Musical: Felipe Storino

Direção de Movimento: Marcia Rubin

Iluminação: Tomás Ribas

Diretor de Cena: Jamil Kubruk

Figurinista: Antônio Medeiros e Guilherme Kato

Cenógrafo: Estúdio Chão-Adriano Carneiro de Mendonça Antonio Pedro Coutinho

Realização/ Produtoras associadas: AKutner Produções  e Morente Forte Produções Teatrais