“Tom na Fazenda”, Sr Sinônimo procura equivalentes, em mostra Arte e Diversidade no Itaú Cultural SP.

Por Lenise Pinheiro

Figuras de linguagens, ameaças e muita imaginação. Semiologia entre texto e imagens, onde a atmosfera incorpórea, revela o que se chama, ação.

Nas pegadas de Caim e Abel, relações entre irmãos, já causam espécie.

O cunhado com fogo nos olhos. Cabeça virada, tronco e membros.

A narrativa alterna temas, pastos e paisagens.

Atores impressos nos cenários, alternando partos e derrapagens, curvas e surras.

Cordas, pulsos e umbigos, gritando:

– “Desce daí, menino”.

– “Mãos inútéis, barrigas abandonadas, lábios desolados”:

– “Especialmente Dolce, demasiado Cabbana“.

Segredos, afetos arrastados até a violência.

Jantas, sopapos em corpos trabalhados.

-“Minha bunda é perfeita”.

– “Tira a camisa”.

– “Eu sei que você me acha bonito”.

Boa Noite Cinderela. Rosto dilacerado.

Assuntos delicados, aulas de dança.

Grosseirias, assuntos transmutados em acessos de riso:

– “Vc mantem os braços firmes quando dança a Cúmbia. Um bom cumprimento dos braços. Solta ele, solto, se move prá direita e para a prá esquerda. Só o quadril.Você tem quarenta e oito opções para dançar Cúmbia. Braços firmes? É isso aí! Devagar. Vc aprende muito fácil. Sete e oito”.”.

Luz no mato, bezerros e bocas caladas.

Narrativas entre patas quebradas e chão lamacento.

Inúmeras surpresas. Múltiplos talentos.

Mentiras, verdades e preconceito.

Fúrias e juras de amor. Mensagens cifradas:

– “Finalmente ele está com medo”.

– “Nem mesmo Deus se preocupa com ele”?

– “O sol brilha mais forte”.

Agora. Olhos vidrados. Bravos.

Som na caixa. Venenos no ar. Baldes na cara:

“- Me tira daqui. Pedaço de carne. Por favor”.

Cheiros, silêncios e músicas.

Cinturas, cadernos e poemas.

Sarahs, Francis e Bacon?

Encontros nas artes das colônias dessa “Fazenda.”

– “Muito prazer”.

Itaú Cultural – Teatro – São Paulo

21/06 Quarta 20h

Tom na Fazenda

Texto: Michel Marc Bouchard

Tradução: Armando Babaioff

Direção: Rodrigo Portella

Atores: Armando Babaioff, Kelzy Ecard, Gustavo Vaz e Camila Nhary

Cenário: Aurora dos Campos

Iluminação: Tomás Ribas

Figurinos: Bruno Perlatto

Direção Musical: Marcello H.

Guitarras e Violões: Jr Tostoi.

Preparação Corporal: Lu Brites

Coreografia: Toni Rodrigues

Cabelos: Ezequiel Blanc

Assistente de Cenografia: Manu Libman

Assistente de Figurino: Luísa Marques

Técnico de Efeitos Aéreos: Cláudio Baltar

Direção de Produção: Sérgio Saboya

Produção Executiva: Milena Monteiro

Contrarregra: Pri Helena