“Marte, você está aí”? Título sugestivo, montagem idem.

Por Lenise Pinheiro

Estrelas cheias de luz, solitárias, pelos palcos do Auditório.

Sonoplastia, ambientação e feridas. Brindes às coisas estáticas.

Fechando os olhos, poderemos estar em Marte. Ou num país melhor. Sentados num sofá ou uma montanha de Minas Gerais, aveludada.

Perseguições, desamparos e feridas. Vozes e paranóias sobre como é estar no mundo ou dizer segredos:

– “Como você entrou aqui? Cadê seu dono”? Você sempre olha assim para as pessoas? Você não pode ficar aqui, eu não posso te ajudar. Volta para o seu dono. Eu preciso estar sozinha”. Você até que não se mexe muito. Eu também me machuquei”.

Votos para um mundo melhor. Mentiras bem na nossa hora. Sirenes em dolby stereo. Perguntas e respostas evasivas.

– “Vocês moravam juntas aqui”?

Intelectos, ditaduras parasitas e golpistas.

– O problema é grande e não vai ser bom. O que ela fez é muito sério. Ela pode ser presa”.

Rosto e mãe, todo mundo tem.

As coisas estão girando. Rótulos de shampoo.

Manchas no céu. Mãos desgrudadas.

Dormir nos chãos em brasa. Incêndios:

– “Combustão humana”.

– “Sabe que eu gosto da palavra piranha“.

– “Você fala como se me conhecesse”.

– “Terrorista”.

Mazelas da repressão, lembranças e despedidas.

Alterna-se ânimos, tecidos adamascados e Elton John.

Toques de recolher, intimidades e pedidos de socorro.

A essa altura, o texto sugere que Marte, é o colo da mãe.

– “Um brinde à mentira. A verdade custa muito caro. Você paga um preço muito alto pela verdade”.

– “Sabe como nasce uma estrela? No interior de nuvens de hidrogênio… uma poeira cósmica de grafite e silicato, uma contração, quer dizer um colapso, faz nascer um objeto denso, que se aquece, até atingir quinze milhões de graus celcius. Aquilo então, começa a brilhar.

Marte, você está aí?”.

Câmbio, desligo.

Auditório do Masp – Museu de Arte de São Paulo

Sextas e Sábados 21h Domingos 20h

Texto: Silvia Gomez.

Direção: Gabriel Fontes Paiva.

Atores: Jorge Emil, Michelle Ferreira e Selma Egrei.

Cenário: André Cortez.

Iluminação: André Prado e Gabriel Fontes Paiva

Figurinos: Fábio Namatame.

Trilha Sonora: Dr Morris.

Assistência de Direção: Ana Paula Lopez. 

Direção de Produção: Marlene Salgado.