Peças para ver no fim de semana

Por Nelson de Sá

Dicas da Lenise e minhas:

A Hora Errada – Magali Biff e Zémanuel Piñeiro constroem os personagens Dolores e Horácio com os tijolos do diretor Tomás Rezende, nos porões de Lourenço Mutarelli. Sesc Consolação. Sexta, 20h (Última apresentação da Temporada)

BR Trans – Silvero Pereira, à frente do coletivo artístico As Travestidas, faz rir, chorar e pensar. Oficina Cultural Oswald de Andrade. Sextas e Sábados, 20h (Únicas apresentações)

Walmor Y Cacilda 64 Robogolpe – Musical de Zé Celso. A Cia. Uzyna Uzona com alegria nos pés, nas ancas e nas ventas. Teatro Oficina. Sábado, 21h. Domingo 19h (Últimas apresentações da temporada)

Killer Joe – Atores em vários registros, na mira do diretor Mario Bortolotto. Teatro e Bar Cemitério dos Automóveis. Sextas e Sábados, 21h30. Domingos 20h30

O que o Mordomo Viu – Marisa Orth, Marcelo Picchi e Miguel Falabella arrancam frouxos de riso no palco do antigo “Sai de Baixo”. Teatro Procópio Ferreira. Sextas, 21h30. Sábados, 19h e 21h30. Domingos, 19h

Terceiro Sinal – A encenação desperdiça boa parte do primeiro ato e descartou todo o terceiro, da farsa de Michael Frayn sobre os bastidores do teatro. Mas o segundo ato é, em uma palavra, imperdível. Teatro Folha. Sextas, 21h30. Sábados, 20h e 22h. Domingos, 20h

Meu Deus! Mais que psicóloga, Irene Ravache é uma mãe _segura, amorosa_ para o Deus em depressão de Dan Stulbach. A comédia da israelense Anat Gov só fica mais um mês em cartaz. Teatro Faap. Sextas, 21h30. Sábados, 19h e 21h30. Domingos, 18h

Para ver em quatro dias da semana:

Cais – Naufrágios pessoais na mítica ilha da fantasia, criada por Kiko Marques. Oficina Cultural Oswald de Andrade. Segundas, terças, sextas e sábados, 19h